Coppe/UFRJ
Coppe/UFRJ

Pesquisadores do Rio desenvolvem sistema Ariel, para identificar óleo nos oceanos

Equipamento combina embarcação autônoma (ASV) e veículo aéreo não tripulado (drone)

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2021 | 15h30

Pesquisadores da Coppe/UFRJ testaram com sucesso um sistema de monitoramento para identificar vazamento de óleo nos oceanos. Batizado de Ariel (acrônimo para Autonomous Robot for Identification of Emulsified Liquids), o sistema combina embarcação autônoma (ASV) e veículo aéreo não tripulado (drone).

Fruto de uma parceria da Coppe com as empresas TideWise, criada por ex-alunos da entidade, e Farol, o projeto foi contratado pela Repsol Sinopec Brasil e realizado com recursos da cláusula de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O sistema Ariel permite o monitoramento contínuo e a detecção rápida de vazamentos de óleo no mar. A integração de sensores meteoceanográficos aos modelos de dispersão de óleo existentes possibilitam análises preditivas, informou a Coppe/UFRJ em nota.

O sistema foi desenvolvido no Laboratório de Controle e Automação, Engenharia de Aplicação e Desenvolvimento (Lead) da Coppe, sob a coordenação do professor Alessandro Jacoud. O Ariel foi testado no mês de dezembro, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

"Uma das vantagens do Ariel é a dupla verificação, que permite uma análise mais confiável do que a utilizada pela indústria do petróleo, hoje, que usa imagens de satélite", afirma Jacoud, professor do Programa de Engenharia Elétrica da Coppe.

O sistema é equipado com câmeras visuais para localização de vazamentos, e de câmeras visual e térmica para detecção de óleo. Os veículos trabalham de forma autônoma e colaborativa. O drone decola de uma plataforma instalada na própria embarcação, denominada USV Tupan, que foi desenvolvida pela Tidewise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.