Fabio Vendrame/AE
Fabio Vendrame/AE

Pesquisa revela causas da temperatura mais baixa da história

Em julho de 1983, a temperatura registrada pelos termômetros na Antártida chegou a 89,2°C negativos

Efe,

12 Janeiro 2010 | 15h01

Uma pesquisa revelou as causas que levaram ao registro da temperatura mais baixa da história, -89,2°C, atingida na Antártida em julho de 1983. A pesquisa, feita pelo British Antarctic Survey (BAS), do Reino Unido, e pelo Arctic and Antarctic Research Institute (AARI), da Rússia, diz que essa temperatura recorde foi inferior em 30°C à média da região no inverno.

 

Veja também:

linkÁrtico esquenta enquanto hemisfério norte segue congelando  

 

A massa de ar frio procedente do oceano se instalou durante dez dias sobre a parte alta do planalto antártico, onde fica a estação científica russa de Vostok, que registrou este recorde e que desde 1958 mede as temperaturas da região.

 

A corrente impedia que massas de ar mais quente procedentes de latitudes mais baixas chegassem a esta região, o que isolou a estação e criou as condições para temperaturas tão extremas.

 

Além disso, a ausência de nuvens e uma camada de minúsculas partículas de gelo suspensas no ar contribuíram para que o calor procedente da superfície se perdesse no espaço.

 

"O estudo permitiu simular com sucesso a rápida perda de calor neste período de fez dias, o que ajudará no desenvolvimento de modelos climáticos utilizados para prever a evolução futura do clima da Antártida", explicou o investigador da BAS e autor do estudo, John Turner.

 

Segundo Turner, uma temperatura tão baixa dificilmente será registrada na Antártida. O pesquisador diz que o continente ainda não sofreu os efeitos do aquecimento global da mesma maneira que a região ártica, mas que deve ser afetado no próximo século pela alta generalizada das temperaturas mundiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.