DANIEL TEIXEIRA/AE
DANIEL TEIXEIRA/AE

Pequenas, porém sustentáveis

Responsabilidade socioambiental não é só para as grandes empresas

Clara Massote - especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

27 Dezembro 2010 | 16h13

Todo mundo só fala dela. Parece que, de uns tempos para cá, não há publicidade de banco, multinacional ou estatal que não mencione – para não dizer destaque – a relevância de suas ações de responsabilidade socioambiental.

 

Dentre estas ações,estão a preservação do meio ambiente, o respeito aos funcionários e clientes, a opção por fornecedores idôneos e o cuidado com a comunidade do entorno.

 

Mas será que esse assunto se restringe somente às grandes companhias? A resposta é não. “A essência da sustentabilidade nas empresas é a mesma, independentemente de seu porte”, avalia Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

 

Para Itacarambi, a essência pode ser resumida em um conceito simples. “Uma empresa socialmente responsável é aquela que combina seu interesse ao interesse público, que pensa nos impactos que o negócio gera em toda a sua cadeia produtiva.”

 

Hélio Mattar é presidente do Instituto Akatu,que tem por objetivo mobilizar a população para aderir ao consumo consciente. Para ele, a responsabilidade social está nas relações que os empresários estabelecem com clientes, fornecedores, meio ambiente, funcionários e comunidade.

 

“Quanto melhor for a relação, mais responsável é a empresa e melhores serão os resultados.” Este é o propósito de Paola Tucunduva, proprietária da lavanderia Rotovic e presidente da Associação Nacional das Lavanderias (Anel). Como sua lavanderia é industrial – lava uniformes de operários de fábricas – utiliza muita água e deixa resíduos pesados.

 

Além de se sentir corresponsável pelos danos ao meio ambiente, Paola viu que seus clientes (empresas) também exigiam (prestadora de serviço) práticas sustentáveis em seus processos.

 

Assim, buscou a certificação ISO 14001, que estabelece diretrizes para a gestão ambiental de empresas. “Vi que a certificação trouxe resultados inesperados, como a redução dos gastos com água e energia elétrica.”

 

Paola foi além: à frente da Anel, desenvolveu uma certificação específica para a gestão ambiental de lavanderias. “Quero dar continuidade ao que fiz aqui, É uma relação de ganha-ganha.” Ela, assim como os demais envolvidos na questão socioambiental, defendem que um consumidor consciente exija produtos, serviços e empresas cada vez mais responsáveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.