Linette Grzelak / AFP
Linette Grzelak / AFP

Peixe-lua de 1,80 m é encontrado morto em litoral australiano

Animal era considerado de tamanho mediano para a espécie, que pode pesar até 2,2 toneladas

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2019 | 11h02

SYDNEY - Um peixe-lua foi encontrado morto no sábado 16, na foz do rio Murray, sul da Austrália. Conhecido como o peixe ósseo mais pesado do mundo, o animal tinha 1,8 m de comprimento e estava encalhado em uma praia australiana. Ele era considerado de tamanho “mediano” para a sua espécie.

Os peixes-lua "podem ser muito maiores (...), quase o dobro deste tamanho", explicou o biólogo Ralph Foster, responsável pela coleção de peixes do South Australian Museum, à rede de televisão Australian Broadcasting Corporation (ABC). "É habitual que colidam com barcos, e alguns são tão grandes que podem afundar um veleiro", afirmou ele.

Ainda não se sabe o motivo pelo qual o peixe-lua chegou ao litoral australiano, mas sabe-se que a espécie tem o hábito de tomar sol na superfície da água, o que lhe vale seu nome em inglês "sunfish" (“peixe do sol”, em tradução livre). “Sabemos muito pouco sobre eles. Apenas nos últimos anos, a tecnologia nos permitiu começar a aprender mais", acrescentou Foster.

O peixe-lua se distingue por seu grande tamanho e por seu característico corpo achatado lateralmente. Pode chegar a pesar até 2,2 toneladas, segundo a revista National Geographic. Eles também podem nadar a centenas de metros de profundidade e são considerados "vulneráveis" pela União Internacional para a Conversa da Natureza (UICN). / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.