Pedaço de plataforma de gelo da Antártida desprende-se

Imagens de satélite mostraram queuma grande fatia da plataforma de gelo Wilkins, da Antártida,começou a entrar em colapso em uma área do continente cujastemperaturas elevam-se com rapidez, disseram cientistas naterça-feira. A fatia que se desprendeu mede cerca de 415 quilômetrosquadrados e fazia parte da plataforma de gelo Wilkins, segundoimagens de satélite do Centro Nacional de Dados sobre a Neve eo Gelo da Universidade do Colorado. A Wilkins consiste em uma imensa camada de gelo permanenteformado sobre as águas da Antártida, com um total de 13 milquilômetros quadrados. A plataforma fica localizada napenínsula Antártida, a cerca de 1.600 quilômetros da América doSul. "Pedaço a pedaço, o gelo está caindo e espalhando-se pelooceano", afirmou Ted Scambos, chefe do Centro Nacional de Dadossobre a Neve e o Gelo, em entrevista concedida por telefone. "A plataforma não está apenas rachando, de forma que umpedaço dela se afastaria, mas está pulverizando-se totalmente.Esse tipo de acontecimento não se vê com frequência. Masdesejamos compreender isso melhor porque é o tipo de coisa quepoderia levar ao total desaparecimento da plataforma de gelo",acrescentou. Segundo Scambos, uma grande porção da Wilkins sustentava-seagora somente por uma pequena faixa de gelo. Esse último"esteio de gelo" poderia ruir e cerca de metade de toda a áreada plataforma se perderia nos próximos anos, afirmou. O cientista David Vaughan, da British Antarctic Survey,disse em um comunicado: "Essa plataforma está por um fio." "Um canto dela que se encontra exposto ao oceano estáruindo segundo um padrão que vimos ocorrer em alguns lugaresnos últimos 10 a 15 anos. De toda forma, concluímos que issoresulta do aquecimento da Terra", acrescentou Scambos. Segundo o cientista, a plataforma Wilkins existe há aomenos algumas centenas de anos. No entanto, correntes de arquente e a exposição às ondas do mar estão provocando seuesfacelamento. Nos últimos 50 anos, a península Antártida registrou umprocesso de aquecimento que está entre os mais rápidos doplaneta, afirmaram. "O aquecimento que vem ocorrendo na península tem umarelação bastante clara com o aumento dos gases do efeito estufae as mudanças que isso provocou na circulação das massas de arna região da Antártida", afirmou Scambos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.