Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Parque Ecológico Imigrantes promete imersão na Mata Atlântica na Grande SP

Espaço foi batizado de Parque Ecológico Imigrantes (PEI), um empreendimento particular, mas com entrada gratuita mediante agendamento virtual

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2018 | 02h00

SÃO PAULO - E se o caminho em direção ao mar tiver uma parada para outro tipo de mergulho? Um novo parque inaugurado às margens da Rodovia dos Imigrantes, a 35 quilômetros do centro de São Paulo, promete uma imersão dentro da Mata Atlântica, em um caminho frequentado por antas, bugios e borboletas maiores que a palma de uma mão.

O espaço foi batizado de Parque Ecológico Imigrantes (PEI), um empreendimento particular, mas com entrada gratuita mediante agendamento virtual. As visitas começam em 15 de janeiro, com o máximo de 50 pessoas por data, em dias úteis e exclusivamente no período entre 9 e 14 horas, por causa da neblina que costuma subir na região pela tarde. 

A área, de 484 mil metros quadrados, fica em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. A nova unidade interliga as margens da Represa Billings, um dos mais importantes reservatórios de água da Grande São Paulo, com o Parque Estadual da Serra do Mar.

O caminho principal é feito por uma passarela em meio às copas das árvores e um funicular. O transporte leva a um mirante, do qual é possível avistar a rodovia de um lado, e, de outro, a mata. O trajeto é todo adaptado para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Há, ainda, a opção de fazer cinco trilhas distintas, uma delas passando por baixo da passarela.

“A sensação de andar sobre a copa das árvores é única. Quando se fala em parque, geralmente se está andando embaixo delas”, compara Márcio Koiti Takiguchi, integrante do comitê executivo do parque.

A ideia do PEI é desenvolvida há 10 anos pela Fundação Kunito Miyasaka, que reúne empresários de origem nipo-brasileira. “A gente não queria que fosse um parque comum, igual a todos”, afirma Takiguchi.

Ele ressalta que o projeto preza pela sustentabilidade, utilizando materiais recicláveis e técnicas de baixo impacto ambiental, além de captar energia eólica e solar. Até mesmo os resíduos sólidos produzidos nos banheiros também vão se transformar em adubo gotejado no meio da floresta.

Para Takiguchi, o parque tem uma “pegada muito forte” na área educacional, embora também deva atrair empresas e famílias. A ideia é fazer treinamentos com professores antes das visitas, embora todas sejam monitoradas.

Existe a previsão de construir um espaço multiúso para seminários e workshops e um anfiteatro. Estuda-se, ainda, parcerias com universidades e instituições científicas para captação de informações sobre o clima da região. Hoje, um sistema de câmeras instalado na área de mata já captura imagens da fauna local.

Parque Ecológico Imigrantes

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, 650 - São Bernardo do Campo/SP

Entrada gratuita mediante agendamento virtual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.