Parasita determina se abelha será rainha ou operária

A pequena mosca fica presa junto com as abelhas, diminuindo sua comida disponível e seu crescimento

da Redação, estadao.com.br

28 Julho 2008 | 16h24

Coisas estranhas estão acontecendo nas florestas tropicais de Costa Rica e Panamá. Uma pequena mosca parasita está afetando a vida social de uma abelha noturna, ajudando a determinar quais indivíduos se tornam rainhas e quais se tornam operárias.  A descoberta de pesquisadores da Universidade de Washington e do Instituto de Pesquisas Tropicais Smithsonian é o primeiro exemplo documentado de um parasita tendo um efeito positivo no comportamento social de seus hospedeiros. É o cleptoparasitismo que consegue isso - nesse caso, larvas dos mosquitos roubando comida das abelhas ainda em desenvolvimento.  Os pesquisadores descobriram que as abelhas menores que aparecem nos ninhos são dominadas por suas mães. Essas pequenas abelhas têm a tendência de ficar e atuar como operárias ajudantes, enquanto as abelhas maiores têm a tendência de sair e começar novas colméias, como rainhas. As abelhas que surgem de células, ou câmaras, que abrigam moscas são menores que suas companheiras de ninho que não contêm o parasita. As moscas podem incentivar comportamento operário em algumas abelhas.  "Nós geralmente pensamos sobre o parasitismo em termos de como prejudica a saúde animal, como sobrevive e como se reproduz", disse Sean O'Donnell, professor associado e co-autor do estudo, publicado nesta edição do jornal Journal of Insect Behavior. "Aqui, o parasita não vive dentro de outro animal, mas está roubando os recursos de seu hospedeiro. Nós acreditamos que essas moscas parasitas não estão afetando o ciclo de vida dessas abelhas, e as mães se beneficiam por terem ajuda, ou uma operária a mais que fica para ajudar a proteger o ninho, aumentando o índice de sobrevivência."O'Donnell e sua equipe estudaram dois tipos próximos de abelhas, a Megalopta genalis e a Megalopta ecuadoria, e a família de pequenas moscas parasitas, as Chloropidae. Essas abelhas são polinizadores importantes de plantas que florescem durante a noite e as fêmeas podem criar um ninho sozinhas, ou em pequenas colônias. Uma colônia é tipicamente formada de dois a quatro indivíduos - rainha e seus filhos.  Observações de comportamento mostraram que as abelhas operárias são significativamente menores que a abelha rainha, embora seus tamanhos variem de colméia para colméia. É assim que as moscas agem afetando o comportamento das abelhas. As moscas colocam seus ovos na entrada das colméias, e alguns desses ovos acabam caindo nas câmaras. Quando estão cheios de comida, os ninhos são então selados, de maneira que as larvas não possam afetar ninhos diferentes, e levando as pequenas abelhas e moscas a competirem por uma quantidade limitada de alimentos.

Mais conteúdo sobre:
abelhasmeio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.