Papa diz que violência na Síria e no Iraque é 'pecado grave contra Deus'

O papa Francisco disse que militantes islâmicos estavam realizando um "pecado profundamente grave contra Deus" na Síria e no Iraque, pedindo neste domingo pelo diálogo inter-religioso e por ações contra a pobreza para ajudar a encerrar os conflitos.

REUTERS

30 Novembro 2014 | 10h29

O papa falou no último dia de sua viagem à Turquia, que está abrigando quase 2 milhões de refugiados da Síria, com milhares de cristãos entre eles.

Juntamente com o patriarca Bartolomeu I, líder espiitual de 300 milhões de cristãos ortodoxos no mundo, Francisco disse que as pessoas de todas as fés não podiam ficar indiferentes às vítimas da "desumana e brutal" guerra ao lado.

"Tirar a paz de um povo, cometendo todo ato de violência, ou consentir com tais atos, especialmente quando dirigido contra os mais fracos e indefesos, é um profundamente grave pecado contra Deus", disse o papa.

(Reportagem de Philip Pullella e Nick Tattersall)

Mais conteúdo sobre:
PAPA TURQUIA CONFLITOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.