Panda gigante mais velha do mundo morre na China

Taotao morreu de hemorragia cerebral aos 36 anos; normalmente, estes animais vivem 25 anos

Efe,

04 de abril de 2008 | 22h07

A ursa panda Taotao, de 36 anos, morreu no zoológico de Jinan, no leste da China, depois de uma longa batalha contra as doenças que sofria. Segundo informou o jornal China Daily, ela era o mais velho animal da espécie criado em cativeiro.   Taotao, cujo os aniversários, em cada mês de outubro, eram notícia freqüente nos meios de comunicação chineses, morreu de hemorragia cerebral dois meses após do diagnóstico de uma trombose no cérebro.   O nome da ursa panda em chinês significa "travessa". Ela nasceu livre nas montanhas do Estado de Gansu, oeste chinês, e ainda com quatro anos foi recolhida por alguns camponeses, quando estava a ponto de morrer de desnutrição, para ser levada a um zôo. Ela nunca teve filhotes e ficou a um de igualar o recorde histórico de um urso panda em cativeiro.   Em média, os pandas vivem por 25 anos em cativeiro - contra 15 anos dos que vivem em liberdade. A idade de Taotao equivalia a mais de 108 anos em um ser humano.   Segundo a Administração Florestal Estatal e a organização ecológica WWF, cerca de 1,6 mil ursos pandas, uma das espécies em maior risco de extinção do planeta, vivem nas montanhas do Estado de Sichuan, no sudoeste chinês, e nos montes Qinling, no Estado vizinho de Shanxi,

Tudo o que sabemos sobre:
Panda giganteTaotaoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.