AP
AP

Países ricos se reunirão nos EUA para discutir aquecimento global

Fórum reunirá as maiores economias para debater os recursos para países pobres combaterem o aquecimento

Reuters

08 Abril 2010 | 10h46

Os Estados Unidos irão sediar um encontro de grandes economias entre 18 e 19 de abril em Washington para avançar as conversas para um acordo mundial contra o aquecimento global, disse à Reuters nesta quarta-feira, 7, o principal negociador dos EUA para o clima, Todd Stern.

 

Veja também:

linkONU reabre negociação climática; acordo em 2010 é improvável 

linkComunidades indígenas pedem mais presença na luta contra aquecimento 

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono   

 

Stern disse que Washington espera que as conversas climáticas da Organização das Nações Unidas em 2010 possam liderar acordos em seis pontos cruciais, como financiamento para esforços de controle de poluição por países pobres, mas afirmou estar incerto se um acordo com implicação legal para reduzir a emissão de gases estufa seria fechado até o final deste ano.

 

O Fórum das Maiores Economias, que ajudou a convencer os maiores emissores a apoiar a meta, agora acertada, de limitar o aquecimento global para menos de 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais, não se destina a ser um fórum de negociações para substituir a ONU, disse Stern, reiterando a política norte-americana.

 

Observadores especulam que este fórum ou outros grupos assumiram um papel maior este ano nas negociações climáticas após o encontro da ONU em Copenhague, em dezembro, ter terminado sem um acordo com implicação legal.

 

"Há, em geral, um ritmo crescente de discussões agora", disse ele, se referindo aos diferentes encontros sobre mudanças climáticas no mundo. "Esperamos ter uma discussão muito ampla sobre quais são as expectativas das pessoas neste ano" durante as conversas em Washington, acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.