Ajit Solanki/AP
Ajit Solanki/AP

Países ricos oferecem pouco para conter aquecimento, diz ONU

Organização diz que metas apresentadas tornam 'muito difícil' a tarefa para evitar alta da temperatura global

AE-AP, Agencia Estado

01 Fevereiro 2010 | 14h44

As metas até agora anunciadas pelos países mais ricos provavelmente não evitarão os desastrosos efeitos do aquecimento global. A advertência foi feita nesta segunda-feira, 1, por Janos Pasztor, assessor para o clima do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon.

 

Veja também:

linkEspiões podem ter vazado documento sobre clima, diz cientista

linkAcordo do Clima de Copenhague recebe adesão discreta

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono     

Estados Unidos, China e os membros da União Europeia (UE) estão entre os 50 países que já apresentaram planos para reduzir suas emissões. A ONU havia anunciado um prazo para que essas propostas fossem divulgadas até antes desta segunda-feira.

Pasztor disse que as metas anunciadas até o momento tornam "muito difícil" a tarefa para que se evitem temperaturas subindo em mais de 2ºC acima dos níveis anteriores à Era Industrial. O fato de um aumento superior a esse trazer riscos sérios para o mundo foi um importante ponto discutido na conferência climática de Copenhague, em dezembro.

Mais conteúdo sobre:
ambiente aquecimento ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.