Países em desenvolvimento criam frente para negociar clima

Um grupo de importantes economias em desenvolvimento, entre elas Índia e China, criaram uma frente para pressionar os países desenvolvidos na conferência sobre o clima no mês que vem em Copenhague.

ALAN WHEATLEY, REUTERS

29 Novembro 2009 | 12h40

Depois de dois dias de negociações em Pequim, os países em desenvolvimento afirmaram ter acordo em temas chaves, incluindo a necessidade do Ocidente propiciar financiamento e tecnologia para que os países em desenvolvimento combatam o aquecimento global.

Na reunião estiveram representantes da China, da Índia, do Brasil, da África do Sul, entre outros.

A China é a principal emissora de gases do efeito estufa no mundo. A Índia está em quarto lugar. O Brasil também ocupa posição de liderança, principalmente por causa do deflorestamento.

Os três estão sob pressão para cortar a poluição, enquanto dizem que as medidas tomadas pelos países ricos nesse sentido não têm sido suficientes.

Os países em desenvolvimento têm expressado preocupação com os esforços para substituir o Protocolo de Kioto por um novo acordo.

O comunicado da reunião em Pequim afirma que o protocolo deve continuar em vigor, com os países ricos comprometidos em cortar as suas emissões de acordo com o documento.

Mais conteúdo sobre:
CLIMA PEQUIM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.