País quer monitorar agricultura do espaço

Assim como o Inpe usa imagens de satélite para monitorar o desmatamento na Amazônia, a Embrapa quer desenvolver uma tecnologia semelhante para monitorar a expansão e a produtividade da agropecuária – dois fatores que influenciam diretamente as taxas de derrubada da floresta.

29 de setembro de 2010 | 13h14

 

“Se o Brasil quer mesmo ser uma potência ambiental e agrícola ao mesmo tempo, precisa ter sistemas capazes de monitorar tanto a agricultura quanto o desmatamento”, diz o pesquisador Mateus Batistella, chefe geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, em Campinas.

 

Com metodologias adequadas, segundo Batistella, é possível deduzir não só o tamanho da área plantada, como o tipo de lavoura (ou pasto) e o número de safras que estão sendo colhidas.

 

“Assim como sabemos onde está o desmatamento, temos de saber onde está a agricultura”, afirma o pesquisador. “Temos informações estatísticas do IBGE, mas não informações espaciais.” Batistella estima que levará cinco anos para a Embrapa desenvolver um programa desse tipo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.