Organização de saúde animal estuda efeito da carne no clima

A iniciativa, que será a primeira de caráter ambiental da OIE, segue-se à solicitação feita por países membros

Reuters,

07 Janeiro 2010 | 16h31

A Organização Mundial de saúde Animal (OIE) prepara-se para estudar o impacto da produção de carne na mudança do clima, à luz do debate sobre a contribuição do gado para as emissões de gases do efeito estufa, informa o organismo.

 

Ex-Beatle pede menor consumo de carne para ajudar o clima

 

A iniciativa, que será a primeira de caráter ambiental da OIE, segue-se à solicitação feita por países membros para que se investigue a questão, que tem levado a pedidos para que as pessoas consumam menos carne.

 

A produção de carne tem um peso estimado de 18% nas emissões globais de gases causadores do efeito estufa, de acordo com a FAO, órgão de agricultura e alimentação das Nações Unidas.

 

Uma campanha encabeçada pelo ex-Beatle Paul McCartney, para que as pessoas deixem de comer carne um dia por semana também chamou atenção para a situação.

 

Mas o diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, advertiu para uma possível simplificação excessiva da questão, afirmando que outras variáveis, como a capacidade das pastagens de acumular carbono, precisam ser levadas em conta.

 

As pessoas também precisam lembrar que a produção de carne também gera leite e ovos, e não pode ser sacrificada num momento de aumento da demanda por proteínas na população mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.