Polícia Ambiental
Polícia Ambiental

Operação prende 4 traficantes e resgata 70 animais em Praia Grande

Várias espécies ameaçadas de extinção foram recuperadas, como jiboia arco-íris e aves azulão e pixoxó; entre os detidos está um ex-militar do Exército

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

06 Março 2017 | 14h27

SOROCABA - Quatro pessoas foram presas em uma operação da Polícia Federal contra o tráfico de animais silvestres, na manhã desta segunda-feira, 6, em Praia Grande, no litoral sul do Estado de São Paulo. Mais de 70 animais, muitos de espécies ameaçadas de extinção, foram resgatados. Entre os presos está um ex-militar do Exército, que, além de vários animais, tinha munição de fuzil desviada das Forças Armadas.

A operação, denominada Bem-Te-Vi, mobilizou ainda homens da Polícia Militar Ambiental, agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão no Jardim Anhanguera.

A suspeita é de que os caçadores agiam em matas da Serra do Mar. Entre os animais resgatados estão uma jiboia arco-íris e exemplares das aves azulão e pixoxó, todos em risco de extinção na natureza.

Em uma casa foram achados 11 lagartos teiú e uma tartaruga-mordedora, nativa dos Estados Unidos, além de munição de fuzil. O filho da dona do imóvel, um rapaz de 20 anos, contou que foi militar do Exército e servia na Fortaleza de Itaipu, no Canto do Forte, tendo ficado com a munição quando deu baixa.

Os detidos foram levados para a delegacia da Polícia Federal em Santos e da Polícia Civil de Praia Grande. Gaiolas e armadilhas de caça também foram apreendidas na operação, que mobilizou mais de 50 agentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.