ONU afirma que novo acordo sobre clima deverá ter base legal

Chefe da secretária de mudanças climáticas lembra que nações ricas já quebraram promessas no passado

Associated Press,

02 Novembro 2009 | 08h53

A autoridade máxima da ONU sobre o meio-ambiente afirmou nesta segunda-feira, 2, que um novo acordo mundial para reduzir o aquecimento global, com bases legais, precisa ser feito. Yvo de Boer alegou que os países ricos quebraram muitas promessas no passando, visando se desenvolverem e por isso é necessário uma oficialização do pacto.

 

Boer, chefe da secretaria de mudanças climáticas da ONU, disse à agência de notícias Associated Press que os países desenvolvidos estão preocupados com a possibilidade de não conseguirem cumprir a promessa de ajudar as indústrias de suas nações a se adaptarem às novas regras climáticas, principalmente em relação a meta de diminuir a emissão de gás carbônico.

 

A questão sobre o quê deve contemplar um acordo oficial sobre o clima e se as nações desenvolvidas deverão acatar a autoridade de comitês de monitoramento são obstáculos para o acordo, que inicialmente estava previsto para ser concluído no mês que vem.

 

As partes que estão cuidando do acordo já consideram que está fora de questão conseguir a conclusão do pacto até dezembro.

Mais conteúdo sobre:
ONU meio-ambiente. Yvo de Boer

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.