ONG comemora Ano da Biodiversidade com programação especial

Viva a Mata leva palestras, exposições e peças de teatro ao Parque do Ibirapuera a partir de sexta

Karina Ninni, estadao.com.br

20 Maio 2010 | 17h43

A Fundação SOS Mata Atlântica comemora com festa o Ano Internacional da Biodiversidade e o Dia Nacional da Mata Atlântica (27 de maio). O evento, que se chama Viva a Mata, acontece no Parque do Ibirapuera a partir desta sexta-feira, entre os dias 21 e 23 de maio das 9h às 18h. No dia 22, comemora o Dia Internacional da Biodiversidade.

 

Hoje restam apenas 7,91 % de remanescentes florestais acima de 100 hectares da Mata Atlântica, que se estendia ao longo de 17 Estados e abrangia originalmente 1.315.460 km².

 

“Para conservar o bioma, adotamos duas posturas: recuperar a mata através do plantio de árvores e incentivar a criação de Unidades de Conservação, geralmente Reservas Particulares de Patrimônio Natural”, resume Márcia Hirata, diretora de gestão do conhecimento da ONG.

 

A SOS já garantiu o plantio de mais de 22 milhões de árvores por meio do Clickarvore (em que o internauta clica no link e planta uma muda). Já o programa Florestas do Futuro - em que empresas neutralizam suas emissões por meio de plantio - rendeu ao bioma 2,4 milhões de mudas plantadas. Bons motivos para comemorar.

 

Na programação do Viva a Mata, que está em sua sexta edição, há palestras, debates, exposições, estandes temáticos, oficinas, peças de teatro, maquetes interativas e atividades com voluntários - que somam mais de dois mil.

 

Uma delas é a professora Clelia Rossi. “Comecei em 2005 a voluntariar em escolas, onde fazemos jogos, contamos histórias... Temos falado muito sobre o lixo, por conta das enchentes."

 

A escola municipal Professor Airton Arantes Ribeiro, no Jardim São Luís, zona sul de São Paulo, recebeu os voluntários da Fundação. “Eles conseguem fortalecer não só os alunos, mas a comunidade do entorno também”, afirma a coordenadora pedagógica Maria do Carmo Machado Godoy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.