Obama estabelece meta de predomínio de energia limpa em 2035

Presidente dos EUA fez um apelo para que o Congresso elimine subsídios para empresas de petróleo

REUTERS

26 Janeiro 2011 | 08h12

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estabeleceu durante seu discurso sobre o Estado da União uma meta para que a maioria das usinas do país produzam energia limpa até 2035, incluindo fontes como carvão limpo, e gás natural.  

 

Veja também:

link Cidade americana polui 10 vezes mais que brasileira

Obama também pediu investimentos em tecnologias limpas e fez um apelo para que o Congresso elimine bilhões de dólares em subsídios para empresas de petróleo.

"Não sei se vocês notaram, mas eles estão se saindo bastante bem sozinhos", disse Obama sobre os lucros aferidos pelas petrolíferas. "Então em vez de subsidiar a energia de ontem, vamos investir na de amanhã."

Tal medida, defendida por Obama repetidas vezes desde sua posse em 2009, atingiria as operações de gigantes norte-americanas do petróleo, como Exxon Mobil e ConocoPhillips. No orçamento do ano passado, Obama pediu o fim de quase 40 bilhões de dólares em subsídios para empresas de petróleo, gás e carvão, mas a proposta fracassou.

Mas ao mesmo tempo que mirou nas petrolíferas, Obama buscou uma posição mais centrista numa outra questão que divide Washington --a energia nuclear e combustíveis fósseis como gás natural e carvão limpo. O presidente dos EUA disse que eles são necessários para atingir a meta de 80 por cento de energia limpa em menos de 25 anos.

"Algumas pessoas querem energia eólica e solar. Outras querem nuclear, carvão limpo e gás natural", disse. "Para cumprir esta meta, vamos precisar de todos, e faço um apelo aos democratas e aos republicanos para que trabalhem juntos e façam isso acontecer."

Mais conteúdo sobre:
energia EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.