O impacto da COP-15 no mercado de carbono

Analistas explicam como o fracasso em Copenhague atingirá a área em todo o mundo

REUTERS

21 Dezembro 2009 | 19h49

A conferência do clima da ONU terminou no sábado (19/12), em Copenhague, com os delegados "tomando nota" do acordo fechado por Estados Unidos, China, Brasil e outros países emergentes, que ficou muito aquém das metas originais da COP-15. 

 

O chamado Acordo de Copenhague também trouxe mais incertezas sobre o que acontecerá como mercado de carbono após 2012, quando chega ao fim as regulamentações do Protocolo de Kyoto.

 

Veja também:

linkFiasco na Dinamarca esvazia o papel da ONU

linkTexto da COP-15 não prevê prazo nem metas para acordo 

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especial COP-15, acompanhe os principais fatos

especial Glossário sobre o aquecimento global

 

 

Analistas e negociadores da área opinaram sobre como o desfecho da COP-15 afetará os preços das permissões de emissões de gases na União Europeia (UE) e nos mercados globais em geral. Nesta segunda-feira, os preços nos Estados Unidos caíram 8%, ficando em € 12,40 a tonelada

   

 

Qual a implicação do fracasso da COP-15 para os preços do carbono?

 

Mark C. Lewis, analista do Deutsche Bank

“Não vejo perspectiva a curto prazo para que a União Europeia eleve sua meta de corte de emissões para 2020. Assim, há um impacto negativo. Esperamos que os preços das  permissões de emissão da UE caia nas próximas seções"

 

Emmanuel Fages, analista do banco Societé Générale

“Os preços não podem cair muito. O sentimento (de fracasso) por si só não é capaz de influenciar tanto os preços"

 

Meg Brown, analista do Citigroup

“O resultado insatisfatório da COP-15 faz com que seja improvável que a meta de redução de 20% seja modificada. Isso só deve ocorrer em 2015.  Tudo isso tem um impacto negativo sobre os preços das permissões para emissões a curto prazo. Estimamos um valor de € 20 por tonelada, chegando a € 30 em 2020.

 

Trevor Sikorski, diretor na Barclays Capital

“O desfecho da COP em Copenhague foi decepcionante, abaixo até mesmo de nossas expectativas mais tímidas. Isso cria um cenário negativos para os mercados (de emissões) do mundo todo.  Não vejo nada que incentive investimentos na commodity carbono e nas tecnologias de baixo carbono”.

 

David Metcalfe, diretor da Verdantix

“Regras mal definidas e um preço do carbono depreciado conspiram para tornar esse um mercado de alto risco"

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.