Novo prêmio de fotografia põe mudanças climáticas em foco

Imagens de áreas ressecadas e de locaisdestruídos pela água, capturadas por alguns dos maioresfotógrafos do mundo, competem este ano pela primeira vez em umprêmio de fotografia que tem por foco a sustentabilidade doplaneta. O derretimento de geleiras, regiões desertificadas, linhascosteiras danificadas e árvores derrubadas estão entre asimagens feitas pelos 18 fotógrafos selecionados para participardo primeiro Prix Pictet, que tem na água o tema central de suaedição inaugural. As imagens finalistas, resultantes de um volume inicial defotos apresentadas por 200 profissionais de 43 países, vãodesde temas abstratos a retratos realistas, todos ilustrando asrelações entre a água e a humanidade -- e o efeito devastadorque uma pode ter sobre a outra. "Precisamos mobilizar a opinião pública para que realizemudanças das quais dependemos. O Prix Pictet representa umaoportunidade única para que os maiores fotógrafos do mundoprovoquem mudanças positivas no campo da sustentabilidade",afirmou Gro Harlem Brundtland, enviado da Organização dasNações Unidas (ONU) para a área das mudanças climáticas. O prêmio de 50 mil libras (100 mil dólares) foi criado pelobanco suíço Pictet et Cie e conta com o apoio do jornal TheFinancial Times. As fotos serão exibidas no Palais de Tokyo, em Paris, apartir do dia 30 de outubro, e o nome do vencedor seráanunciado na mesma noite. Uma semana mais tarde, a mostracomeçará a rodar o mundo. Até lá, a lista dos fotógrafos finalistas pode ser vista nosite www.prixpictet.com, e os visitantes podem votar em seuconcorrente preferido. Formam a lista final: Benoit Aquin (Canadá), EdwardBurtynsky (Canadá), Jesus Abad Colorado (Colômbia), ThomasJoshua Cooper (EUA), Sebastian Copeland (Grã-Bretanha),Christian Cravo (Brasil), Lynn Davis (EUA), Reza Deghati (Irã),Susan Derges (Grã-Bretanha), Malcolm Hutcheson (Grã-Bretanha),Chris Jordan (EUA), Carl De Keyzer (Bélgica), David Maisel(EUA), Mary Mattingly (EUA), Robert Polidori (Canadá), RomanSigner (Suíça), Jules Spinatsch (Suíça) e Munem Wasif(Bangladesh). (Reportagem de Jeremy Lovell)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.