Nova Zelândia quer fazer parque eólico em base na Antártida

Segundo ministro, energia de turbinas reduziria uso de óleo diesel em 460 mil litros ao ano na estação científica

Associated Press,

17 de abril de 2008 | 16h59

A Nova Zelândia planeja construir um pequeno parque eólico na Antártida que fará a estação científica Base Scott auto-suficiente em energia, disse nesta quinta-feira, 17, o ministro de Relações Exteriores Winston Peters.   Três turbinas sobre a plataforma de Gelo Ross serão desenvolvidas com energia de geradores Meridian Energy, do governo neozelandês, próximo à estação científica na costa norte da Antártida, informou Peters.   As turbinas irão reduzir a necessidade de enviar combustíveis fósseis à base e diminuirão o risco de acidentes ambientais com petroleiros que transportam o combustível através de mares congelados, afirmou o ministro.   Segundo Peters, as turbinas têm capacidade de reduzir o consumo de óleo diesel em aproximadamente 460 mil litros (120 mil barris) por ano.   O ministro disse esperar que o parque eólico possa ser operado em conjunto com os Estados Unidos e que o fornecimento de energia elétrica chegue à base científica vizinha, a norte-americana McMurdo Station.   A Austrália já opera um parque eólico na sua base cientifica do continente antártico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.