Nova Zelândia ameniza multas por emissões de gases poluentes

Parlamento do país aprovou diminuição no valor das infrações e taxará o uso do carvão a partir de julho de 2010

Efe,

25 Novembro 2009 | 14h31

O Parlamento da Nova Zelândia, controlado pelos conservadores, colocou nesta quarta-feira, 25, uma emenda à lei de gases poluentes para diminuir as multas por infração e as cotas que estabelecidas pelo anterior Executivo trabalhista.

 

Veja também:

linkEUA vão propor corte de 17% em suas emissões em Copenhague

linkChina quer força de lei em meta ambiental só para ricos 

linkBrasil pode perder R$ 3,6 trilhões por causa do aquecimento global

 

A iniciativa foi à frente com cinco votos de diferença, 63 a favor e 58 contra, e contou com os apoios do governante Partido Nacional (direita), Partido Maori (nacionalista) e Futuro Unido (centro).

 

O ministro do Meio Ambiente neozelandês, Nick Smith, disse no Congresso que a iniciativa introduz "o equilíbrio adequado na proteção do futuro da economia e do meio ambiente". "Garante nossa contribuição justa sem a pretensão de que devemos liderar o mundo", disse o ministro.

 

A nova norma entrará em vigor em 1º de julho de 2010 e taxará o uso de carvão, enquanto intensificará o reflorestamento.

 

Sem as emendas, a regulamentação começaria a ser aplicada em 1º de janeiro de 2010, o que teria elevado em 10% o custo da energia e representaria para a indústria uma despesa adicional anual de 400 milhões de dólares neozelandeses (US$ 292 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.