Neve na China traz alívio limitado a áreas com estiagem

A neve que atingiu partes áridas do norte e centro da China de pouco serviu para aliviar a seca que ameaça a safra de trigo do inverno, um fator que contribui para a alta mundial no preço do produto, disseram meteorologistas do governo nesta quinta-feira.

CHRIS BUCKLEY, REUTERS

10 de fevereiro de 2011 | 10h43

Após as primeiras nevadas intermitentes, o primeiro-ministro Wen Jiabao se mostrou otimista, dizendo que a China será capaz de produzir grãos em volume suficiente e conter a inflação que tem sido puxada pela alta dos alimentos.

Houve neve em Pequim e em partes das províncias de Henan, Anhui e Jiangsu, incluindo áreas que passaram meses sem registrar precipitações, disse o meteorologista Sun Jun a um rádio estatal.

Mas ele afirmou que "como a precipitação irá se concentrar nos cursos médio e baixo do rio Yangtsé, ela "terá efeito limitado em mitigar a seca nas áreas do norte".

Isso inclui as províncias de Henan e Shandong, grandes produtoras de grãos.

Dados e imagens da Administração Meteorológica da China mostraram que partes de ambas as províncias tiveram neve, mas a maioria das áreas permaneceu seca e deve continuar assim pelo menos nos próximos dois dias. Já Shandong deve receber neve nos próximos quatro dias, mas também em quantidades insuficientes para atenuar a estiagem.

A China tem grande impacto sobre os cálculos internacionais relacionados à demanda por grãos, e problemas na sua safra podem repercutir nos preços mundiais.

O país colheu em 2010 uma safra de 115,1 milhões de toneladas, sendo 95 por cento de trigo do inverno, cuja produção agora está ameaçada pela seca. Esse tipo de trigo é plantado em outubro (época de inverno) e colhido em maio e junho (verão).

A seca já atinge 7,7 milhões de hectares de cultivos do trigo do inverno em oito províncias, inclusive Henan e Shandong, abrangendo 42,4 por cento da área cultivada com esse alimento, segundo o Ministério da Agricultura.

Apenas 1,69 milhão de hectares, ou um quinto da área afligida pela seca, foi "seriamente afetada."

(Reportagem adicional de Langi Chiang)

Tudo o que sabemos sobre:
AMBIENTECHINASECA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.