Negociadores chegam a texto de acordo inicial sobre clima

Negociadores alcançaram um esboço inicial de um acordo climático durante a madrugada do último dia da conferência climática. O texto pede a limitação do aumento da temperatura global em 2 graus centígrados, além de bilhões de dólares em ajuda aos países pobres, disseram fontes.

PETE HARRISON E KRITTIVAS MUKHERJEE, REUTERS

18 Dezembro 2009 | 08h09

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se juntará a outros 120 líderes mundiais no último dia das negociações sobre o clima, que visam alcançar um acordo para impulsionar os esforços internacionais para cortar as emissões de gases causadores do efeito estufa, considerados responsáveis pelo aquecimento do planeta.

O texto, que ainda está em discussão, propõe um limite no aumento da temperatura global de 2 graus Celsius em relação à era pré-industrial, disseram as fontes, que pediram para não terem o nome revelado, à Reuters.

Países baixos, que podem sofrer mais com o aumento dos níveis dos oceanos, querem um limite mais rígido, de 1,5 grau centígrado. As temperaturas já subiram metade disso somente no último século, segundo o painel climático da ONU.

Duas fontes disseram que o texto também promete que os países ricos doarão 100 bilhões de dólares por ano até 2020 para ajudar países pobres a adaptarem suas economias e lidarem com a mudança climática .

Líderes de 26 nações ricas e em desenvolvimento se reuniram nas primeiras horas desta sexta-feira para tentar superar profundas divergências que afetam as negociações desde o seu lançamento, há dois anos em Bali, na Indonésia.

"Os líderes estão chegando, a maioria já chegou, e a razão que os fez decidir vir a Copenhague é porque há um sentimento genuíno de conseguir algo importante", disse o primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen.

Uma das fontes disse que o texto, que deve sofrer mudanças, não menciona metas de redução de emissões de carbono dos países industrializados.

(Reportagem adicional de Alister Doyle, Gerard Wynn, Anna Ringstrom, John Acher, Jeff Mason, Richard Cowan e Emma Graham-Harrison)

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE COPENHAGUE INICIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.