Mudança climática atinge mais mulheres que homens

'Destruição do meio afeta mais as mulheres pois são muito dependentes de recursos primários', diz Nobel da Paz

Reuters

07 de maio de 2008 | 21h06

A mudança climática atinge mais às mulheres em países pobres, nos quais as mães ficam em áreas atingidas pela seca, desflorestamento e problemas de plantio, enquanto homens se mudam para campos literalmente mais verdes, disse um ganhador do Prêmio Nobel da Paz nesta terça-feira, 6.   "Muitas atividades destrutivas contra o meio ambiente afetam mais mulheres porque a maioria das mulheres no mundo, e especialmente nos países em desenvolvimento, são muito dependentes dos recursos primários: terra, florestas, água," disse Wangari Maathai, do Quênia.   "Mulheres são muito afetadas diretamente, e normalmente mulheres e crianças não podem fugir para outro lugar", disse Maathai, que ganhou o Nobel da Paz em 2004 por seu trabalho em desenvolvimento sustentável.   "Homens podem explorar e procurar pastagens mais verdes em outras áreas, em outros países. Mas as mulheres são normalmente deixadas no local para enfrentar as conseqüências", ela disse.   Maathai estava em Washington com a ganhadora do Nobel da Paz de 1997, Jody Williams.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalnobel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.