MT discute contratos de negociação de carbono com empresas

Estado cobrará taxa de empresas e produtores agrícolas que registrarem altos volumes de emissão de CO2

Célia Froufe, da Agência Estado,

12 Novembro 2009 | 14h59

O governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), pretende fechar contratos de negociação de carbono entre empresas estrangeiras e produtores agrícolas de seu Estado ,durante o Seminário Internacional sobre Mudanças de Clima, que será realizado pela Organização das Nações Unidas, no próximo mês, em Copenhague (Dinamarca). Esta deve ser uma das bandeiras brasileiras no encontro, mas o Mato Grosso quer se posicionar à frente, já mostrando que a ideia pode ser colocada em pratica.

 

Veja também:

linkAgricultura emite mais de 50% de gases de efeito estufa no País

linkTerra absorve mais gás carbônico do que se pensava, diz estudo

  

"O Mato Grosso levará seu projeto de REDD Estadual", disse, referindo-se à Redução de Emissões para o Desmatamento e Degradação. A intenção é a de que empresas que registrarem altos volumes de emissão de carbono paguem US$ 5,00 por tonelada de carbono armazenado. A estimativa inicial do governador é a de que se fechem acordos para evitar a emissão proveniente de 100 a 120 hectares por ano no Estado.

Mais conteúdo sobre:
Mato Grosso carbono

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.