MPF denuncia fazendeiro acusado de desmatar 5 mil hectares

Lourival Santos era dono das cerca de três mil cabeças de gado apreendidas pela Operação Boi Pirata

Elvis Pereira, estadao.com.br

30 Julho 2008 | 17h54

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta quarta-feira, 30, à Justiça o fazendeiro Lourival Novaes Medrado dos Santos, ex-dono das cerca de três mil cabeças de gado apreendidas, no mês passado, na Operação Boi Pirata, em Altamira, no Pará. Ele é acusado de destruir cinco mil hectares de floresta nativa na Estação Ecológica Terra do Meio. Na ação, o procurador Alan Rogério Mansur Silva pede a condenação de Santos por dano a unidade de conservação. O crime prevê pena de até cinco anos de prisão.   Veja Também: Plantio em áreas da Amazônia é possível, diz Stephanes Minc considera 'satisfatório' índice de desmatamento em junho  Histórico do desmatamento  Amazônia perdeu 1,5 campo de futebol por minuto em junho  Relatório do Inpe   A ação faz parte de uma série de denúncias feitas pelo MPF contra fazendeiros que ocupavam irregularmente a Estação. Os processos resultaram em determinações judiciais de desocupação da área. Em junho, o juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo decretou em favor do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) o perdimento do rebanho pertencente a Santos. O quarto leilão para vender o gado está marcado para terça-feira, 5 de agosto. As três primeiras tentativas de negociá-lo fracassaram.

Mais conteúdo sobre:
meio ambiente amazônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.