MP do Pará denuncia três por assassinato de casal de extrativistas

Um dos denunciados é o dono das terras onde fica o assentamento; José Rodrigues Moreira é apontado como mandante do crime

Agência Brasil

27 Julho 2011 | 20h42

O Ministério Público do Pará ofereceu denúncia e pediu a prisão preventiva de três pessoas acusadas de envolvimento no assassinato dos extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva. Eles foram mortos há dois meses em um assentamento em Nova Ipixuna, no sudeste do Estado.

 

Um dos denunciados é José Rodrigues Moreira, dono das terras onde fica o assentamento. Ele é apontado como mandante do crime. Também foram denunciados o irmão dele, Lindonjonson Silva Rocha, e Alberto Lopes do Nascimento, acusados de executar o duplo assassinato.

 

José Rodrigues foi denunciado por homicídio duplamente qualificado, e Lindonjonson Rocha e Alberto Nascimento, por homicídio triplamente qualificado. De acordo com o Ministério Público, o objetivo do crime era retirar o assentado da terra comprada por José Rodrigues.

 

Segundo as investigações policiais, declarações das testemunhas e perícias levaram aos suspeitos. Para a promotora Amanda Lobato, responsável pela denúncia, a prisão preventiva é fundamental para garantir a ordem pública e a tramitação do processo sem ameaça de testemunhas nem ocultação de provas.

 

O casal foi morto a tiros no dia 24 de maio quando atravessava uma ponte de madeira perto do assentamento.

Mais conteúdo sobre:
Pará

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.