Morre no Japão a panda Meimei, mãe de 10 filhotes

Ela tinha 14 anos, equivalente a 50 nos seres humanos, e sofria de problemas de saúde desde janeiro

Efe

15 Outubro 2008 | 15h37

O panda gigante fêmea Meimei, que durante sua fértil vida deu à luz 10 filhotes na China e no Japão, morreu nesta quarta-feira, 15, no parque de diversões Adventure World de Shirahama, na província japonesa de Wakayama, anunciou a agência Kyodo.   Meimei tinha 14 anos - o equivalente a 50 nos seres humanos - e sofria de problemas de saúde desde janeiro. Após se recuperar inicialmente começou a perder o apetite em outubro e deixou de se movimentar, segundo fontes do parque.   Com o objetivo de esclarecer as causas de sua morte o parque fará uma autópsia de Meimei, que deu à luz oito de seus filhotes no Japão e os outros dois na China.   Este ano também morreu no Japão Ling Ling, o urso panda gigante do jardim zoológico de Ueno em Tóquio, após uma longa e intensa vida que incluiu várias viagens.   Ling Ling nasceu no zôo de Pequim em 1985 e era o único exemplar de sua espécie residente no Japão e de propriedade japonesa.   O animal foi doado ao zôo de Ueno em 1992 em troca de um panda nascido no Japão para comemorar o 20º aniversário da normalização das relações entre Japão e China.   Em 1994, a China iniciou um programa de cooperação a longo prazo para a reprodução de pandas gigantes, através do qual enviou 25 exemplares a Japão, EUA e Espanha em troca de um valor em dinheiro nunca revelado oficialmente, destinada à pesquisa para a sobrevivência da espécie.   Segundo estes acordos, os pandas nascidos no exterior são propriedade da China e devem retornar ao país quando estiverem sexualmente maduros, nunca depois dos quatro anos.

Mais conteúdo sobre:
meio ambiente panda japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.