Modelo de ‘mãe ecológica’

Modelo fica ainda mais preocupada com o ambiente depois do nascimento de sua filha, Cora

Alice Lobo, Especial para O Estado de S. Paulo

24 de agosto de 2010 | 23h47

O pacote básico de práticas sustentáveis já faz parte do dia a dia da modelo Luciana Curtis, de 33 anos, há tempos. Ela evita o desperdício de água e energia, usa ecobag, anda sempre que possível de bicicleta ou a pé em Nova York, onde mora, e prefere alimentos orgânicos. Mas desde que soube que estava grávida sua preocupação com o ambiente ficou mais evidente. "Eu e meu marido queremos deixar para a Cora (que completa um mês no sábado) um mundo igual ou melhor que o atual."

 

Luciana está sempre pronta a divulgar suas ideias sustentáveis, a ponto de ser considerada a "ecochata" entre as colegas modelos. "Já dei para elas um guia de como ser verde em Nova York. Quando fiquei grávida, comprei para as que também estavam esperando bebê o livro Green Baby (de Susannah Marriott, é uma espécie de guia da maternidade sustentável)".

 

A maior preocupação da fase mãe ecológica de Luciana diz respeito às fraldas. "Só compro as livres de cloro, de plástico biodegradável. Fraldinhas de boca, só de algodão orgânico", conta. "Aqui tem uma marca chamada Seventh Generation que, além de fraldas, tem produtos de limpeza, absorventes, papel higiênico e papel toalha." Outra dica da top para mães de recém-nascidos é a marca gDiapers, que tem uma calça plástica reutilizável com fundo de absorvente feito de algodão orgânico biodegradável.

 

Vinagre

 

Luciana também recorre a produtos ecofriendly na hora de limpar os brinquedos de Cora. "Vinagre branco é um milagre, uso sempre. Passo um pano com vinagre nos ursinhos de pelúcia, ponho dentro do plástico fechado e depois no congelador por 24 horas para matar as bactérias." Ela costuma ainda levar um galão ao mercado para reabastecer com produtos de limpeza. "Assim não fico jogando mais embalagem plástica no lixo."

 

Luciana admite que o fato de morar em Nova York, onde há ampla oferta de serviços verdes, facilita sua vida de mãe ecológica. Mas diz que algumas medidas podem ser adotadas em qualquer cidade. "Sou chata com banhos demorados, escovar os dentes com torneira aberta ou lavar louça usando muita água."

 

A top também usa lâmpadas econômicas e abomina garrafinha plástica. "Me tira do sério ver gente comprando água mineral", diz a modelo, que instalou filtros na pias de casa para não ter de comprar água em garrafas PET.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.