Ministros do G8 propõem metas emissão de carbono para 2050

Ministros de Meio Ambiente do G8propuseram na segunda-feira que a cúpula desses países, emjulho, adote como meta a redução pela metade das emissõesglobais de gases do efeito estufa até 2050. O G8 (grupo dos oito países industrializados mais ricos domundo) já decidira em 2007 que avaliaria essa proposta, que temapoio de Alemanha, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão eCanadá, mas enfrenta resistência da Rússia e dos EstadosUnidos. Grandes países emergentes, como a China, tambémparticiparam do encontro ministerial de Kobe, preparando apauta ambiental da cúpula do G8, que neste ano vai acontecer nobalneário de Toyako, nordeste do Japão. "A respeito da mudança climática, manifestamos fortemente avontade de tentar chegar a um acordo na cúpula de Toyako paraque possamos ter uma meta de reduzir pelo menos à metade asemissões até 2050", disse o ministro japonês do Meio Ambiente,Ichiro Kamoshita, encerrando três dias de discussões. "Para reduzir as emissões à metade, os países avançadosdevem exercer a liderança para alcançar cortes importantes",acrescentou. Os participantes também defenderam metas intermediárias,numa concessão aos países em desenvolvimento, que cobram maisempenho do G8 e mais ajuda para a implantação de tecnologiaslimpas em países pobres. Mas Kamoshita disse que os países em desenvolvimentoacelerado também precisam reduzir o ritmo das suas emissões. (Reportagem de Linda Sieg e Chisa Fujioka)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.