Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Ministro Ricardo Salles tem alta hospitalar

Salles passou mal na noite de terça-feira, 27. Ele estava internado no Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília; recomendação é de repouso por cinco dias

Ligia Fomenti, Tânia Monteiro, Julia Lindner e Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2019 | 16h42
Atualizado 29 de agosto de 2019 | 17h44

BRASILIA - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, teve alta hospitalar na tarde desta quarta-feira, 28. Ele estava internado no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. De acordo com boletim médico, ele deu entrada no setor de emergência em decorrência de um mal-estar na noite de terça-feira, 27.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

‪Agradeço a todos pelas mensagens de carinho, orações e apoio. Seguimos juntos. ‬

Uma publicação compartilhada por Ricardo Salles (@ricardosallesmma) em

Salles passou por exames que, segundo o hospital, deram resultado normal. O boletim não especifica quais exames foram feitos. A recomendação médica é de repouso por cinco dias.  A nota sobre a alta hospitalar do ministro é assinada pelo contra-almirante diretor-técnico de saúde do hospital, Nestor Francisco Miranda Júnior. 

Segundo uma fonte ouvida pelo Estado, o ministro chegou a ser levado à unidade de terapia intensiva (UTI) e foi submetido a exames cardiológicos.

Mais cedo, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, informou que Salles receberia alta do hospital nesta quarta-feira à tarde. "Foi estresse... vamos dizer.. ambiental", afirmou o ministro da Defesa. 

Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que Salles teria alta hospitalar em breve. "Ele vai ter alta e vai vir me ver daqui a pouco. Ele está com saudade de mim", disse o presidente rindo, ao ser questionado se pretendia visitar Salles no hospital. Bolsonaro falou rapidamente com jornalistas após participar de cerimônia em homenagem ao Dia do Voluntariado, no Palácio do Planalto.

Salles era esperado na manhã desta quarta em evento da Marinha, onde será assinado um acordo de cooperação que trata sobre o lixo marinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.