Ministro da AGU diz que Vale é responsável por desastre em Brumadinho

Ministro da AGU diz que Vale é responsável por desastre em Brumadinho

André Mendonça disse que, diante da reincidência, 'não podem ser adotadas medidas nos mesmos parâmetros' do que aconteceu em Mariana. General Heleno não quis apontar responsáveis

Teo Cury, O Estado de S.Paulo

26 Janeiro 2019 | 22h00

BRASÍLIA – O chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), ministro André Mendonça, disse na noite deste sábado, 26, que a mineradora Vale é responsável pelo desastre em Brumadinho, em Minas. "Há uma responsabilidade pelo que aconteceu. A responsável por isso, pelo risco do próprio negócio, é a empresa Vale do Rio de Doce”, disse, após reunião para tratar da tragédia, no Palácio do Planalto.

O advogado-geral disse que é preciso aguardar as apurações e o levantamento dos órgãos técnicos para verificar a extensão do dano causado e como serão adotadas as medidas de responsabilidade, que podem ser de natureza civil, administrativa e até mesmo criminal. 

“É uma reincidência. Ainda que haja espaço para alguma negociação, não podem ser adotadas medidas nos mesmos parâmetros que foram adotados anteriormente (em Mariana).” De acordo com ele, os dados preliminares que mostram que o número de vítimas é maior do que o do desastre de Mariana “indicam uma responsabilidade humana maior”. 

Mais cedo, Mendonça afirmou que o governo tem atuado juntamente com seus órgãos técnicos para trazer "o máximo de ressarcimento e reparação" para as vítimas em Brumadinho e para o meio ambiente. Ele também informou que monitora eventuais medidas que a AGU possa adotar na esfera judicial para minimizar os impactos da tragédia.

Também presente na coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, não quis apontar um responsável pela tragédia em Brumadinho, diferentemente do ministro da AGU. “Se alguém tem que identificar um culpado, me parece que é o próprio Ministério Público.”

Na tarde deste sábado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que "certamente há um culpado ou mais de um culpado”, mas enfatizou que “o Ministério Público precisa trabalhar de uma forma adequada, sem espetacularização, mas firmemente na busca dos responsáveis por essa tragédia”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.