Minc quer nova autarquia para certificação de madeiras

Além dessa, o ministro entregou mais três propostas para o presidente Lula, em audiência no Planalto

Leonêncio Nossa, de O Estado de S. Paulo,

18 Novembro 2008 | 18h48

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, informou nesta terça-feira, 18, que entregou ao presidente Lula, em audiência no Palácio do Planalto, três propostas: a criação de uma nova autarquia para certificar madeiras, um decreto que regulamenta a legislação de preservação da Mata Atlântica e a realização de concurso público para ocupação de 3 mil novos cargos no Ibama, no Institituto Chico Mendes e na Polícia Federal, para o combate ao desmatamento. Em entrevista há pouco, Minc disse que se for criada, a autarquia Serviço Florestal Brasileiro tornará mais rigoroso o combate ao desmatamento e tornará a exploração de madeira sustentável. A estimativa, segundo o ministro, é que a autarquia gere, num primeiro momento, 36 mil empregos, com a exploração de madeira legalizada. Minc negou que a exploração de madeira em parques nacionais, especialmente na Amazônia, seria una legalização da destruição da floresta. "De forma alguma. A Finlândia se tornou um grande país com a exploração sustentável dos seus recursos naturais", afirmou. Ainda de acordo com o ministro, o novo órgão, deverá legalizar, em 2009 e 2010, um total de 2,8 mil toneladas de madeira. Sobre o decreto da Mata Atlântica, o ministro disse que ele será importante para garantir a preservação dos trechos da vegetação nativa, ainda existentes. O decreto, segundo Minc, será assinado pelo presidente Lula, na próxima sexta-feira, em São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
mincmeio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.