Minc anuncia multa recorde de R$414 milhões a siderúrgicas

O ministro do Meio Ambiente, CarlosMinc, disse nesta quinta-feira que o Ibama aplicou as maioresmultas de sua história nos biomas Cerrado e Pantanal, no valorde 414 milhões de reais. "Sessenta siderúrgicas foram multadas e receberam multas daordem de 414 milhões de reais", declarou Minc em entrevistacoletiva. Outros 70 milhões de reais em multas deverão ser pagos pordiversos fornecedores de carvão, segundo o Ministério do MeioAmbiente. As siderúrgicas são dos Estados de Minas Gerais, MatoGrosso do Sul e Espírito Santo. A operação do Ibama visavacombater o uso ilegal de carvão vegetal nos dois biomas. "Os principais locais de onde isso foi extraído ilegalmentedas matas nativas foram o Cerrado e o Pantanal. Isso é até bomporque ficam dizendo que a gente só cuida da Amazônia; estamoscuidando aqui do Cerrado e do Pantanal também", disse Minc. A operação só foi possível graças a um sistema eletrônicochamado Documento de Origem Florestal (DOF), utilizado peloIbama em tempo real. Qualquer caminhão com carvão só podecircular com o DOF, que quando emitido é instantaneamenteregistrado na central de fiscalização do Ibama. "Nós estamos usando uma tecnologia do futuro para coibircrime e impunidade ambiental. Isso tem um custo relativamentebaixo, uma eficiência muito alta e vai melhorar muito o nossotrabalho e reduzir praticamente a zero as fraudes", comemorou oministro. Segundo o Ibama, os principais ilícitos observados nomercado carvoeiro são transporte com volume de carga superiorao registrado, exploração ilegal em áreas não autorizadas etransporte utilizando um mesmo documento mais de uma vez.(Reportagem de Ana Nicolaci da Costa)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.