Minc afirma que metas de corte de emissões do Brasil têm valor legal

Ministro diz que fracasso da Conferência de Copenhague não alteram compromisso com corte de 39% na emissão de poluentes até 2020

Reuters

28 Dezembro 2009 | 19h40

O ministro do Meio Ambiente Carlos Minc disse nesta segunda-feira que o Brasil vai manter o compromisso legal de reduzir a emissão dos gases do efeito estufa até 2020 apesar do fracasso da Conferência de Copenhague. As metas serão quantificadas e sujeitas a inspeção.

“Vamos seguir rigorosamente as metas. Não importa que Copenhague não tenha ido tão bem quanto esperávamos”, disse Minc à imprensa depois de se encontrar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Embora Lula tenha vetado três itens da Lei de Mudanças Climáticas aprovada no mês passado pelo Congresso, Minc disse que as metas de emissões foram preservadas. “O Brasil terá uma política forte para lidar com a mudança climática.”

O Brasil pretende reduzir em até 39% as emissões de gases do efeito estufa projetadas para 2020. Isso significa um corte de cerca de 20% sobre os níveis de 2005. O Brasil é um dos maiores emissores mundiais de poluentes, basicamente por causa do desmatamento da Amazônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.