México quer gerar confiança para cúpula do clima de 2010

Presidente Felipe Calderón, anfitrião da COP-16 em novembro, busca 'avançar em direção a acordos sólidos'

EFE

13 Abril 2010 | 10h50

O presidente do México, Felipe Calderón, afirmou hoje em Washington que seu país procura motivar confiança entre os países que participam da cúpula do clima da ONU, cuja próxima edição será em território mexicano em novembro deste ano. 

 

Calderón fez a declaração durante uma reunião com o primeiro-ministro da Suécia, Fredrik Reinfeldt, na Conferência da Segurança Nuclear, que acontece nesta terça e quarta-feira em Washington.

 

Segundo um comunicado emitido pela embaixada mexicana, Calderón e o primeiro-ministro sueco "trocaram pontos de vista sobre diversos temas da agenda internacional".

 

Ambos reiteraram o interesse em fortalecer os vínculos políticos, econômicos e comerciais, além dos laços de cooperação e intercâmbio entre os dois países. Calderón e Reinfeldt também discutiram assuntos relacionados com a cúpula do clima COP-16, que será realizada em Cancún, de 29 de novembro a 10 de dezembro deste ano.

 

Na COP-16, os países buscam alcançar um acordo mundial vinculante sobre o aquecimento global, que começaria a valer em 2012. A última reunião da COP, em Copenhague, no ano passado, não avançou nesse sentido.

 

A ideia de calderón, de acordo com o comunicado emitido pela embaixada mexicana, é gerar um clima de confiança entre as nações "de maneira que se possa avançar em direção a acordos sólidos". Reinfeldt "reconheceu a liderança do México nas negociações globais neste tema e disse que a Suécia fará todo o possível para participar no êxito da cúpula climática".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.