Meteorologistas dos EUA prevêem 4 furacões para setembro

Segundo cientistas, prevê-se que este mês registre um volume de atividade quase duas vezes maior que o normal

TOM BROWN, REUTERS

02 Setembro 2008 | 13h00

Pesquisadores da Universidade Estadual doColorado prevêem que, em setembro, a temporada de furacões doAtlântico vai registrar um volume de atividade "bastante acimada média", com quatro furacões, incluindo dois que podem ser"grandes", afirmou nesta terça-feira um integrante da equipe. "Com base nos indícios climáticos colhidos em agosto,prevemos que setembro será bastante ativo", disse Bill Gray, umpioneiro nas previsões sobre a temporada de furacões e fundadordo grupo de pesquisa da universidade. Segundo os cientistas, prevê-se que este mês registre umvolume de atividade quase duas vezes maior que o verificadopara meses de setembro. E isso por causa de temperaturas dasuperfície do oceano maiores que o normal, nenhum sinal dofenômeno El Nino no Pacífico e pressões mínimas quase recordena superfície do Atlântico tropical. A equipe divulgou sua mais recente previsão para atemporada deste ano em agosto, afirmando que haveria 17tempestades tropicais, das quais nove se transformariam emfuracões com ventos de ao menos 119 km/h. Na terça-feira, nãohouve nenhum tipo de atualização para essas previsões. A temporada de tempestades do Atlântico começa no dia 1o dejunho e termina em 30 de novembro, atingindo seu ápice,normalmente, no dia 10 de setembro. Em média, registram-se deztempestades tropicais, das quais seis ganham força suficientepara transformarem-se em furacões. A temporada de 2005, que bateu vários recordes e na qualocorreu o violento furacão Katrina, observou o surgimento de 28tempestades. O furacão Hanna, que nasceu na segunda-feira, perto dasBahamas, é o quarto da temporada atual. O ano de 2008, que já teve dez tempestades batizadas,também viu o surgimento do furacão Gustav, que, depois deatingir a Louisiana (EUA) com fortes ventos e muita chuva,perde força. Dos quatro furacões previstos pela equipe da CSU parasetembro, ao menos dois devem ser intensos ou "grandes", comventos sustentáveis de mais de 170 km/h. Os grandes furacões são os que ficam na Categoria 3, 4 ou 5da escala Saffir-Simpson, que possui cinco níveis.

Mais conteúdo sobre:
CLIMAFURACOESPREVISAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.