Adam Berry/AFP
Adam Berry/AFP

Merkel quer que G7 se comprometa com meta de aquecimento global

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu que o grupo de líderes do G7 concorde em limitar o aumento das temperaturas médias globais a 2ºC acima dos níveis pré-industriais, alertando que sem tal comprometimento um acordo climático mais amplo pode falhar.

Michelle Martin, REUTERS

06 Junho 2015 | 10h40

O clima é um dos principais tópicos na agenda da reunião do G7 em um castelo bávaro, que acontece no domingo. Merkel espera que os líderes mandem um sinal forte de redução dos gases do efeito estufa antes da reunião climática das Nações Unidas de dezembro, em Paris.

A conferência em Paris somente terá crédito se os países mantiverem a meta de 2 graus que foi acordada em Copenhague em 2009, disse Merkel em podcast divulgado neste sábado.

"Caso contrário, eu não acho que haverá um acordo climático em Paris e todos os participantes sabem disso. É por isso que eu espero que nós, como países do G7, possamos dizer com clareza: mantemos esta meta", disse.

Ela alertou, porém, não esperar um acordo mais amplo na reunião. "Eu não acho que devemos comparar a reunião do G7 com negociações que visam um acordo climático; só pode haver um comprometimento dos importantes países industriais aqui."

Cientistas afirmam que, com base nas emissões atuais e nas promessas de redução já feitas, as temperaturas globais devem aumentar 4 graus Celsius até 2100.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.