Mata Atlântica terá US$ 162 milhões para conservação

Financiamento foi assinado entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o governo paulista

O Estado de S. Paulo

09 Dezembro 2010 | 12h44

A conservação e recuperação de áreas de Mata Atlântica terão US$ 162,5 milhões. Esse é o valor de um contrato de financiamento assinado ontem entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o governo paulista.

 

O empréstimo apoiará um programa estadual para promover a conservação e restauração do Parque Estadual da Serra do Mar, da Estação Ecológica Jureia-Itatins e de unidades de conservação marinhas e costeiras.

 

O contrato foi assinado no Palácio dos Bandeirantes pelo representante do BID, Fernando Carrillo-Flórez e pelo Governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman.

 

O Parque Estadual da Serra do Mar tem 315 mil hectares e é o maior trecho contínuo protegido de Mata Atlântica do Brasil. O parque abriga 20% das espécies de aves do país. Jureia-Itatins também é uma área relevante para proteção da Mata Atlântica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.