Marina Silva ganha prêmio da Noruega por proteção à Amazônia

A senadora e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva ganhou o prêmio norueguês Sofia de 100 mil dólares por sua luta em defesa da floresta amazônica, anunciou a fundação responsável pelo prêmio nesta quarta-feira.

REUTERS

01 de abril de 2009 | 13h54

O prêmio Sofia é concedido anualmente a personalidades de destaque na proteção ambiental e desenvolvimento sustentável. Ele foi criado em 1997 pelo autor norueguês Jostein Gaarder, e seu nome foi inspirado na personagem principal de seu livro "O Mundo de Sofia".

Marina Silva, que foi ministra entre 2003 e 2008, combateu as atividades ilegais na Amazônia, disse a Fundação Sofia em sua menção.

"Durante este período, ela reduziu o desmatamento na Amazônia para níveis historicamente baixos -- 60 por cento de 2004 a 2007", informou a fundação.

"Áreas enormes foram conservadas, mais de 700 pessoas foram presas por atividades ilegais na floresta, mais de 1.500 empresas foram fechadas, e equipamentos, propriedades e madeira ilegal foram apreendidos. Estas medidas foram efetivas."

A floresta amazônica absorve imensas quantias de dióxido de carbono (CO2) -- o principal gás causador do aquecimento global, segundo os cientistas -- e a conservação da floresta é crucial para diminuir o efeito estufa e as dramáticas mudanças climáticas, disse a fundação.

Durante os três anos de Marina Silva no governo, o desmatamento foi reduzido para o segundo nível mais baixo em 20 anos, de acordo com a fundação.

"Ela também se preocupou com as populações de sociedades indígenas", disse.

Marina foi substituída no Ministério por Carlos Minc em maio do ano passado.

(Reportagem de John Acher)

Tudo o que sabemos sobre:
AMBIENTEMARINASILVAREMIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.