Prefeitura de Nísia Floresta
Prefeitura de Nísia Floresta

Manchas de óleo deixam 17 praias impróprias para banho no Nordeste

Outras 49 estão interditadas por outras formas de poluição; no Espírito Santo, não há impedimento em nenhum local

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2019 | 10h40

SOROCABA - Mesmo com a redução no surgimento de manchas, 17 praias do Nordeste estavam interditadas para banho nesta terça-feira, 19, por causa da presença de óleo. Outras 49 praias eram consideradas impróprias, mas por outras formas de poluição, segundo os órgãos estaduais do meio ambiente.

Além dos nove Estados nordestinos, o Espírito Santo, no Sudeste, teve praias atingidas pelo óleo, mas não havia interdição. De olho na chegada dos turistas para as festas de fim de ano e o carnaval, os governos mantêm equipes de prontidão para limpar as praias.

Bahia

Na Bahia, de 134 pontos de coleta em praias de todo o litoral, 13 estavam impróprios, mas em apenas quatro locais os motivos eram as manchas de óleo. Três delas ficam na Costa dos Coqueiros, no litoral norte, sendo duas na foz do Rio Sauípe e uma na Gamboa. A outra, segundo a Secretaria do Meio Ambiente, fica na Barra de São Miguel, na Costa do Cacau.

Na área urbana de Salvador, havia sete trechos de praias impróprios e, na Baía de Todos os Santos, outros dois, mas sem relação com o óleo.

Todas as praias da Costa do Dendê e da Costa da Baleia estavam em boas condições. Também estavam liberadas as seis praias monitoradas na Costa do Descobrimento.

Para Entender

Entenda o vazamento de petróleo nas praias do Nordeste

Óleo se espalha pelos 9 Estados da região. O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira

Alagoas

Em Alagoas, três municípios litorâneos registravam fragmentos de óleo nesta terça, e o banho não estava liberado em cinco praias. Em Jabaratinga, equipes trabalhavam na limpeza de três praias. Em Barra de São Miguel, a praia Barramar estava com manchas, assim como a praia Pontal do Coruripe, em Coruripe.

"Não estamos permitindo o banho apenas durante a limpeza. A gente recomenda que o banhista não fique na praia, enquanto o óleo é retirado. Depois de tudo limpo, o banho é liberado", explicou o secretário executivo de Meio Ambiente, Alex Gama.

Segundo ele, o pior já passou.

"Mais de 60 praias chegaram a receber óleo no Estado, mas houve um trabalho intenso e as condições se normalizaram."

Segundo ele, o pescado passou por análises e também foi liberado para consumo.

"A maior parte do nosso camarão vem de criadouros internos. O turista pode vir, pois estamos monitorando para garantir a total segurança dos banhistas."

Ceará

O Ceará teve 25 praias em 14 municípios atingidas pelo óleo, mas todas foram liberadas para banho após a limpeza. As praias de Fortaleza têm oito trechos impróprios sem relação com as manchas de óleo. Praias famosas de outras localidades, como a Canoa Quebrada, em Aracati, e Jericoacoara, em Jijoca de Jericoacoara, foram atingidas pelo óleo, mas estão limpas e prontas para os banhistas. 

A Secretaria do Turismo prevê a chegada de 1,5 milhão de turistas entre o início de dezembro e o final de fevereiro.

Paraíba

O Estado da Paraíba registra quatro praias impróprias para banho, três delas em João Pessoa - Praia do Farol de Cabo Branco, Praia do Jacaparé e Praia do Arraial -, além da Praia Maceió, em Pitimbu.

Conforme a pasta do Meio Ambiente, não havia relação com o óleo. Quatro praias de Cabedelo, incluindo a famosa Camboinha, e a Praia do Bessa, em João Pessoa, tiveram registro de manchas, mas foram limpas e liberadas.  

Rio Grande do Norte

No Rio Grande do Norte, apenas as praias de Barra do Tabatinga e Búzios, no município de Nísia Floresta, estão impróprias por causa da presença de óleo. As praias de outros 12 municípios do litoral potiguar que foram atingidas por manchas de óleo já foram limpas e estão liberadas, segundo o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).

A condição própria para banho inclui todas as praias da capital, Natal, e de Extremoz, os principais destinos turísticos.

Maranhão

No Maranhão, embora 16 das 21 praias monitoradas da ilha de São Luís, que inclui a capital e o município de São José do Ribamar, estejam impróprias, isso não se deve ao óleo. “Nesses casos, têm mais a ver com as chuvas e condições de saneamento, pois são áreas densamente ocupadas”, informou a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema).

Segundo o órgão, as praias da região dos Lençóis Maranhenses, nos municípios de Santo Amaro do Maranhão, Barreirinhas e Araioses, foram limpas e estão liberadas, mas com monitoramento. Nesta terça, foram encontrados fragmentos de óleo em praias de Tutóia, na região dos Lençóis. Conforme a pasta, uma equipe se deslocou para a região e ainda não havia informações sobre a extensão do problema.

Pernambuco

Em Pernambuco, desde 2 de setembro, 45 praias de 13 municípios foram atingidas pelas manchas de óleo, mas todas já foram liberadas para banho, segundo a Secretaria de Turismo do Estado. Desde o dia 31 de outubro, conforme a pasta, o Estado está sem ocorrências das manchas relacionadas ao desastre ambiental.

Um laudo da Agência Estadual de Meio Ambiente atestou a segurança dessas praias para banho. A agência apontou que, de 49 praias analisadas sob o aspecto de balneabilidade, oito estão impróprias, mas por causas não relacionadas ao óleo.

Sergipe

Em Sergipe, três praias da capital, Aracaju - Praia do Hawaizinho, Praia do Banho Doce e Praia dos Artistas -, estavam interditadas devido à contaminação pelo óleo, segundo a Administração Estadual do Meio Ambiente. Outras 17, embora tivessem registrado contato com o óleo, foram liberadas.

Piauí

A Secretaria de Meio Ambiente do Piauí informou que as praias de Peito de Moça, em Luís Correia, e Pedra do Sal, no município de Parnaíba, estão impróprias para banho devido ao aparecimento de manchas de óleo entre os dias 15 e 16 deste mês.

A Praia de Atalaia, em Luís Correia, a maior e mais procurada do litoral piauiense, também continua imprópria. Outras, como a Praia do Coqueiro e Macapá, estão liberadas.  

Espírito Santo

Último Estado a ser atingido pelo óleo, o Espírito Santo tem todas as praias atingidas pelas manchas liberadas para banho, segundo o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema). Por outras formas de poluição, quatro praias - uma em Vitória e três em Vila Velha - estão impróprias.

O óleo chegou a seis dos 14 municípios costeiros: Conceição da Barra, São Mateus, Linhares, Aracruz, Serra e Vila Velha.

"Houve a limpeza de todas as praias e atualmente todas estão próprias para banho. Todo o litoral capixaba está sendo monitorado e os municípios têm equipes capacitadas para limpeza, se voltar a surgirem fragmentos", disse, em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.