Adema/Governo de Sergipe
Adema/Governo de Sergipe

Mancha em praias do Nordeste já é o vazamento de óleo de maior extensão do País, diz especialista

Até segunda-feira, pelo menos 132 pontos do litoral do Nordeste foram atingidos pela mancha

Jéssica Nakamura, Especial para o Estado

08 de outubro de 2019 | 04h30

O vazamento que poluiu praias nos nove Estados do Nordeste já é o maior episódio, em termos de extensão, de vazamento de óleo vindo de uma mesma origem. Essa é a avaliação de David Zee, professor da Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio (Uerj). Até esta segunda-feira, pelo menos 132 pontos do litoral do Nordeste foram atingidos pela mancha. E, segundo ele, pode levar de dez a 20 anos para que todo o resídio seja eliminado do oceano. 

"Nunca tive notícias de um derrame desses antes no Brasil, só se compara ao que aconteceu em Macondo (Golfo do México)", acrescenta o engenheiro ambiental. O governo federal investiga a origem do óleo, avistado em mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira, mas informa que análises já indicam que o produto não foi fabricado no Brasil. 

Especialista em manejo de ecossistemas costeiros, Zee lamenta o impacto do episódio no ecossistema marinho da região. Além de liberar substâncias tóxicas na água e de impregnar na pele dos animais, o óleo menos denso fica na superfície e bloqueia a radiação solar, impedindo os fitoplânctons de fazer a fotossíntese necessária à manutenção da vida marinha. Sem contar os prejuízos aos mangues, considerados os berçários do oceano.

Para Entender

Entenda o vazamento de petróleo nas praias do Nordeste

Óleo se espalha pelos 9 Estados da região. O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira

O professor estima que, pela quantidade de óleo encontrado e pelo nível de contaminação, deva levar pelo menos de 10 a 20 anos para que todo o resíduo de óleo seja eliminado do mar. "Em alguns locais da Bacia de Ilha Grande, aqui em Angra dos Reis (RJ), ainda vemos marcas de óleo em pedras de desastres que aconteceram há cinco, dez anos", lamenta.

Mais de 100 toneladas de poluente já foram recolhidas, diz governo

"Isso afeta quem usa o mar para navegar, quem usa para se alimentar, afeta o turismo dessas regiões, afeta a economia", afirma Zee. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o vazamento de óleo traz prejuízo ao turismo, mas o governo tem feito ações para remover o poluente. Mais de 100 toneladas de óleo já foram recolhidas das praias nordestinas

"O mar oferece inúmeros serviços à humanidade mas, para todos receberem seus benefícios, é preciso haver convivência harmônica, por meio da fiscalização, do controle e da ciência", defende o especialista. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.