Charles Dharapak/AP - 03/12/2009
Charles Dharapak/AP - 03/12/2009

Mais de 100 chefes de Estado estarão reunidos em Copenhague

Cúpula da ONU sobre mudanças climáticas terá a presença de líderes como Lula, Obama, Jiabao e Sarkozy

Efe,

04 Dezembro 2009 | 12h13

Mais de 100 chefes de Estado e de Governo, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, confirmaram presença na Cúpula da ONU sobre a Mudança Climática de Copenhague, informou nesta sexta-feira, 4, o Gabinete do primeiro-ministro dinamarquês, Lars Løkke Rasmussen.

 

Há três semanas, Rasmussen enviou uma carta aos 191 países-membros da ONU, sem contar a Dinamarca, para convidar seus governantes a comparecerem, nos dias 17 e 18, à parte final da cúpula, que começa na próxima segunda-feira na capital dinamarquesa.

 

Entre os líderes europeus que confirmaram sua presença em Copenhague estão o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown; a chanceler alemã, Angela Merkel; o presidente francês, Nicolas Sarkozy; e o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero.

 

Veja também:

linkONU quer investigação de acusações sobre entidade climática

linkEficiência energética custará à China US$ 30 bilhões anuais

linkCom metas atuais, emissão de CO2 dobrará até 2040, diz estudo

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo  

 

Também confirmaram sua participação os presidentes do México, Felipe Calderón, e da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono; e os primeiros-ministros da China, Wen Jiabao, e da Austrália, Kevin Rudd.

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou que estará na conferência só até o dia 9 para apresentar os compromissos de seu país em questões climáticas.

 

A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (UNFCCC, na sigla em inglês) informou que há 15 mil participantes registrados para a cúpula, dos quais metade são de delegações oficiais dos países visitantes e a outra metade, membros de ONGs e outros organismos.

 

O objetivo da conferência é negociar um novo acordo mundial sobre o clima que substitua o Protocolo de Kioto, assinado em 1997 e que expira em 2012.

Mais conteúdo sobre:
cupulaOnuclimaCopenhague

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.