Luxo ecológico: joias feitas com material orgânico

Biojoias (ou ecojoias) são artigos de joalheria que misturam gemas e metais preciosos com material orgânico, como madeira, fibras de arumã ou casca de pupunheira, e são produzidos de forma exclusivamente artesanal. No Pará, o Polo Joalheiro São José Liberto, mantido pelo governo estadual desde 2002, treina ourives e designers na criação de peças que valorizem a cultura amazônica e o ambiente.

Gustavo Bonfiglioli, Especial para o Estado de S. Paulo

26 Novembro 2010 | 12h52

 

Projeto

 

 

A biojoia é projetada por um designer de joias, como Selma Montenegro. Ela primeiro desenha o modelo e especifica os metais, gemas e materiais que serão usados na confecção da peça, como madeiras, cascas, sementes e fibras vegetais.

 

Lapidação

 

 

Além das gemas comuns, os artesãos do polo lapidam pedras obtidas pela extração do silício de plantas amazônicas. Submetido a um processo térmico, o silício pode ser colorido com corantes naturais, técnica inventada por um ourives marajoara.

 

Ourivesaria especializada

 

 

Os ourives de biojoias precisam ter conhecimento especializado para trabalhar os metais e pedras em harmonia com o material orgânico. A cravação das gemas na madeira, por exemplo, é mais delicada do que em materiais como o metal.

 

Joia da natureza

 

 

Após o polimento e acabamento, a biojoia está pronta para ser usada. Segundo a diretora do Polo Joalheiro de Belém, Rosa Nascimento, a ideia de fazer joias com material orgânico, além de ser sustentável, valoriza a cultura amazônica.

Mais conteúdo sobre:
BiojoiasOrgânicosParáJoias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.