Lula diz que levará propostas ambiciosas a Copenhague

O presidente não deu detalhes sobre essas propostas e pediu aos mais ricos que também apresentem metas

Efe,

05 Novembro 2009 | 17h36

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira, 5, em Londres que o Brasil apresentará "propostas ambiciosas" na reunião sobre mudança climática da ONU, prevista para dezembro em Copenhague.

 

Veja também:

link Lula confirma que não levará meta numérica a Copenhague

link Países pobres cobram de ricos corte de emissão de 40%

 

"Levaremos a Copenhague propostas ambiciosas e queremos pedir aos demais países, especialmente aos mais ricos, que façam o mesmo", disse Lula em um seminário sobre oportunidades de investimento no Brasil, no último dia de sua visita ao Reino Unido.

 

Lula não deu detalhes sobre essas propostas, enquanto o ministro da Fazenda, Guido Mantega, também presente na conferência, declarou à Agência Efe que o "Brasil está disposto a fazer propostas muito interessantes" para minimizar os efeitos da mudança climática.

 

Segundo Mantega, o Brasil levará a Copenhague uma proposta "muito sólida e eficiente" para as reduções de gases poluentes, mas quer que os outros países também "tenham o compromisso de fazer isso".

 

"O acordo é possível, mas tem que haver boa vontade, principalmente dos Estados Unidos e da China, que são os mais reticentes em fazer esforços nessa direção", ressaltou o ministro.

 

No campo do meio ambiente, Lula assegurou que a exploração do Pré-Sal não desviará o país das metas de consolidar sua matriz energética "como a mais limpa e renovável do planeta".

 

"Somos pioneiros e líderes mundiais na produção de biocombustíveis e queremos consolidar essa posição", afirmou o presidente brasileiro, que disse querer "aproveitar o potencial dessas fontes alternativas".

 

A Conferência de Mudança Climática das Nações Unidas, que acontecerá entre 7 e 18 de dezembro em Copenhague, procura conseguir um novo acordo mundial que substitua o Protocolo de Kioto, que expira em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.