Lula diz que COP 16 não vai dar em nada

Ele afirmou, depois de adiar sua viagem para Cancún, que nenhum grande líder estará na Conferência do Clima

Efe

01 Dezembro 2010 | 19h35

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, participou hoje de um ato em que foram  anunciadas novas reduções da taxa de desmatamento da Amazônia. Na ocasião, ele afirmou que a Conferência do Clima, que acontece em Cancún, no México, "acabará em nada". Lula, que chegou a anunciar sua presença em Cancún, adiou a viagem de última hora.

 

Segundo Lula, o mundo não pode ter expectativas frente à COP 16. Ele assegurou que a reunião terminará sem acordos, como ocorreu no ano passado em Copanhague.

 

 

"Nenhum grande líder vai a Cancún. Irão apenas ministros do Meio Ambiente. Por isso, não se deve esperar nenhum avanço", disse o presidente brasileiro.

 

 

Lula reiterou sua decepção com a conferência realizada no ano passado em Copenhague - onde, segundo ele, os líderes reunidos tinham tudo para chegar a um acordo fantástico - que em sua opinião naufragou por conta da posição de países mais desenvolvidos, como os EUA.

 

 

Ele também insistiu no fato de que as ofertas de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa apresentadas pelas nações mais ricas eram irrisórias, acompanhadas de "planos muito nebulosos" para financiar ações de proteção ao meio ambiente em nações mais pobres.

 

Lula, que será representado por sua ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, declarou que "O Brasil está cumprindo seu dever" e reitera os comprimissos assumidos em Copenhague, de redução de emissões da ordem de 36% a 38% até 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.