Lula defende exploração de petróleo em águas profundas e critica a BP

O presidente Lula visitou a plataforma Capixaba, que começou a produzir óleo do pré-sal

Nicola Pamplona, da Agência Estado,

15 Julho 2010 | 18h25

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a comentar o vazamento de petróleo nos Estados Unidos em cerimônia para a comemoração da primeira produção comercial de petróleo do pré-sal brasileiro, que foi iniciada nesta quinta-feira, 15, no campo de Baleia Franca, no litoral capixaba.

 

Óleo para de vazar de poço da BP no Golfo do México

 

Em seu discurso durante o evento, realizado no aeroporto de Vitória, Lula responsabilizou a petroleira BP pela tragédia. "O que aconteceu não foi um acidente, foi um desastre. O companheiro (Guilherme) Estrella (diretor de exploração e produção da Petrobras) me disse que a empresa estava querendo fazer mais barato e colocou menos (equipamentos de segurança) do que precisava colocar", afirmou o presidente. "Temos tecnologia e, se Deus quiser, não vamos permitir que isso aconteça aqui." 

 

Lula ficou irritado com manchete publicada hoje pelo jornal O Globo, que afirma que o Brasil está na contramão da indústria petrolífera ao permitir perfurações em águas profundas, tema de que já havia tratado pela manhã, em entrevista à rádio capixaba Litoral FM. "Talvez esteja por trás disso a ideia de dizer ao Brasil: 'não tirem seu petróleo do pré-sal, não. Deixa aí que depois a gente vai aí tirar'", comentou, no discurso no qual destacou que a produção de petróleo europeia é declinante. 

 

Lula visitou a plataforma Capixaba, que começou a produzir óleo do pré-sal por meio do poço Baleia Franca 1, a 1,4 mil metros de lâmina d'água, quase a mesma profundidade do poço Macondo, operado pela BP, que explodiu há quase três meses.

 

Participaram da visita, entre outros, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, o ministro de Minas e energia, Márcio Zimmermann, e o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, além de Estrella.

 

A Presidência da República previa uma entrevista com o presidente logo após a cerimônia no aeroporto, mas Lula quebrou o protocolo e discursou durante o evento, cancelando a entrevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.