Lula cobra compromisso com o meio ambiente dos países ricos

Presidente critica postura protecionista dos governos da União Europeia e Japão na questão dos protocolos

Lucinda Pinto e Anne Warth, da Agência Estado,

10 Novembro 2009 | 13h44

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, cobrou que os países desenvolvidos assumam compromissos mais firmes com a questão do meio ambiente. E que já comecem a pensar como viabilizarão as metas assumidas. "Como vamos discutir a questão do clima com Copenhague se os grandes líderes não vão?", questionou.

 

Veja também:

linkResponsabilidade da emissão de CO2 é de países ricos, diz Dilma

linkCopenhague ditará investimentos em baixa emissão de CO2 

 

Lula observou que a União Europeia, que tem a meta de acrescentar 10% de etanol na gasolina até 2020, deve se planejar desde já para isso. "Se não começar a discutir agora, não fizer estoque, de novo não vamos cumprir o que foi acordado", afirmou, lembrando que o Japão também retrocedeu em seu compromisso de misturar etanol à gasolina. "Na hora de assinar protocolos, todo mundo assina. Mas na hora de cumprir, ninguém quer abrir mão de seus hábitos e costumes", disse.

 

Lula desafiou os representantes italianos a iniciarem esse movimento, junto com o Brasil. "Quem sabe Itália e Brasil não podem dar um pontapé inicial e façamos um sinal mais forte para acordar a Europa?", disse o presidente.

Mais conteúdo sobre:
Lula países desenvolvidos meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.