Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Lobos-marinhos de Galápagos fazem colônia no Peru

Biólogo marinho peruano atribui estabelecimento dos animais na ilha à mudança climática

Reuters,

24 Fevereiro 2010 | 16h07

Tirando vantagem do aquecimento dos mares, lobos-marinhos das Ilhas Galápagos estabeleceram uma colônia próspera na costa do Peru, a cerca de 1.500 km de seu hábitat usual, informam cientistas.

 

Embora os lobos-marinhos já tenham sido avistados esporadicamente ao longo da costa noroeste da América do Sul, os pesquisadores afirmam que, nos últimos meses, foram reunidas evidências de que lobos-marinhos adultos estão acasalando e tendo filhotes no Peru.

 

 Carlos Yaipen-Llanos, veterinário e biólogo marinho do centro de pesquisas Orca, no Peru, acredita que a mudança climática permitiu que os lobos-marinhos se expandissem para além de seu lar tradicional.

 

"Esta é uma espécie única, que costumava viver exclusivamente nas Ilhas Galápagos do Equador", disse ele, depois de atrair um bebê para fora de uma caverna na ilha, imitando o chamado dos pais.

 

"A importância científica dos lobos-marinhos de Galápagos estabelecerem uma colônia no Peru é de que os animais ampliaram sua área e descobriram um novo hábitat. Isso está associado às temperaturas mais elevadas da água".

 

De acordo com dados do instituto geofísico do Peru, as leituras de temperatura da água feitas em todos os meses de janeiro da última década nas proximidades de Isla Foca mostram variação que vai de 17º C em 2000 a 23º C em 2010.

 

A colônia de cerca de 30 lobos-marinhos vive em Isla Foca, uma minúscula ilha habitada por pássaros como gaivotas e pelicanos, juntamente com outro grande mamífero, o leão-marinho sul-americano.

A ilha rochosa fica perto da cidade de Paita, a cerca de 1.100 km da capital, Lima.

 

Acredita-se que o lobo-marinho de Galápagos seja o menor animal do tipo no mundo, com o macho adulto atingindo 50 kg e 1,6 metro de comprimento.

 

Outros biólogos dizem que os lobos-marinhos identificados por Yaipen-Llanos podem ser de outra espécie, o lobo-marinho sul-americano, que vive no Chile e no sul peruano.

 

"A menos que seja fornecida evidência genética, não creio que alguém possa alegar, com muita substância, que esses são animais de Galápagos", disse o biólogo alemão Fritz Trillmich.

 

Mas Yaipen-Llanos, que ainda está analisando os dados genéticos, disse que os lobos-marinhos de Galápagos têm um chamado muito mais agudo que os sul-americanos, além de apresentarem diferenças de coloração, tamanho, estatura, pelagem e comportamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.